11 5051-4084 | comercial@profashional.com

Pódio

Comitê Paralímpico Brasileiro - Revista Profashional

FESTA NA FLORESTA

NOVOS UNIFORMES DOS ATLETAS PARALÍMPICOS SÃO ASSINADOS PELA RESERVA E TRAZEM COMO PRINCIPAL INSPIRAÇÃO A FLORESTA DA TIJUCA. A PROFASHIONAL É #CORACAOPARALIMPICO, PARCEIRA DO CPB E ACOMPANHOU  CADA  DETALHE  DO EVENTO. Por Drica Rosa

Comitê Paralímpico Brasileiro - Revista Profashional

A equipe de estilistas trouxe para a roupa uma leitura tropical da cidade carioca, representada por duas estampas, com desenho da flora e de aves da região

A poucas semanas do início dos Jogos Paralímpicos, o País pôde conhecer os uni- formes que serão usados pelos atletas na abertura e encerramento dos jogos, em evento exclusivo realizado no Rio de Janeiro.

Para apresentar as peças, o desfile contou com o embaixador do CPB (Comitê Paralímpico Brasileiro), Flávio Canto, além dos atletas André Brasil (natação), Silvânia Costa (atletismo) e Jovane Guissone (esgrima).
O processo de escolha teve a curadoria de Paulo Borges, da Luminosidade, que elegeu as melhores marcas para participar de uma espécie de concurso. A grife carioca Reserva, criada por Rony Meisler, foi a escolhida: “O Paulo Borges me ligou para fazer o convite e eu podia escolher fazer a criação para os Jogos Olímpicos ou Paralímpicos, e eu escolhi participar da concorrência dos uniformes para os Paralímpicos, pois acho que já é difícil ser esportista nesse país, pelo ponto de vista fi- nanceiro, e ser um esportista especial é ainda muito mais difícil. A Reserva tem uma história muito longa de trabalhos sociais e inclusão, e os Paralímpicos têm tudo a ver com a marca”, comenta Rony.

A equipe de estilistas trouxe para a roupa uma leitura tropical da cidade carioca, repre- sentada por duas estampas, com desenho da flora e de aves da região, e segundo a marca, foram feitos uniformes para os atletas, independente de suas condições, pois a máxima na criação foi beleza e conforto!
A expectativa não está só em torno dos uniformes, mas também no desempenho dos nossos atletas. O objetivo é alcançar a quin- ta colocação no ranking paralímpico. “Faltam menos de 45 dias para os jogos, mas estamos nos sentindo muito preparados, as confederações têm feito um grande trabalho junto do Comitê Paralímpico, comissões técnicas, os atletas, todos eles sentindo a grande responsabilidade de atuar em casa, mas usando isso de forma positiva, não se cobrando, mas que- rendo dar espetáculo”, fala Andrew Parsons, presidente do CPB.
Para Flávio Canto, ex-judoca, apresentador   e embaixador do Comitê, os uniformes foram aprovados. Agora é esperar para torcer: “Esta- mos prestes a viver dias inesquecíveis que vão transformar para sempre a maneira de como as pessoas veem o esporte Paralímpico. Temos um momento difícil que estamos vivendo na política e economicamente, e hoje teremos um legado sobre o qual as pessoas falam pouco, um legado intangível de representantes de uma galera que dá orgulho de ser brasileiro, de esperança”, fala.